12 setembro 2007

A Internet irá revolucionar a democracia

Deu ontem no portal INFO Online.

Don Tapscott, guru da administração de empresas e co-autor do best seller "Wikinomics" deseja ensinar aos governos como aproveitar o poder da internet para reinventar a democracia.

Tapscott é um defensor do conceito de Web 2.0, a Internet colaborativa, cujo conteúdo é gerado pela multidão.

Em "Wikinomics: How Mass Collaboration Changes Everything," publicado este ano, ele e seu co-autor Anthony Williams desafiam as empresas a revelar segredos comerciais na Web, a fim de obter as idéias de que precisam junto a pessoas que não trabalham para elas.

Eles mencionam histórias improváveis de sucesso como a da Goldcorp, uma empresa de mineração de ouro que vinha enfrentando dificuldades até divulgar na Web os seus dados geológicos secretos, convidando pessoas de todo o mundo a ajudá-la a encontrar novos depósitos de ouro --uma iniciativa que resultou em transformação da empresa.

Agora, a New Paradigm, organização de pesquisa criada por eles, está iniciando um projeto que envolveria governos, organizações não governamentais e cidadãos de todo o mundo em um esforço de revitalização do setor público.

"Quero mudar o mundo", disse Tapscott, sorrindo, quando perguntado sobre o que ele acredita possa ser obtido com sua iniciativa.

Tapscott, que está em meio a um projeto multimilionário de pesquisa das atitudes e hábitos de pessoas com entre 13 e 29 anos de idade, calcula que as pessoas mais jovens desejam participar da vida política, mas que não gostam de ouvir sermões de políticos.

"Minha geração cresceu assistindo TV, de modo que um modelo de mídia eletrônica de massa era aceitável", diz. Mas ouvir coisas como "sou político; assistam a este comercial em que passo 30 segundos detonando meu adversário", é irrelevante para o que ele chama de "geração N", a geração da Internet.

As idéias dele se baseiam na premissa de que a nova geração de pessoas que cresceram com a mídia digital difere fundamentalmente de gerações anteriores. "Esta é a primeira vez na história em que os jovens são as autoridades em algo importante," ele afirma.

Nenhum comentário: