28 junho 2007

Exercício de imaginar

A integração que o Orkut propõe entre público e empresas está cada vez mais nítida. Quando comecei a pesquisar a rede como ferramenta de e-CRM no ano passado, eu queria prever o futuro, queria traçar uma linha de tendência que ocorreria aos poucos. Jamais imaginei que em menos de seis meses a rede viria a ser declarada pelo seu criador como O maior CRM do Brasil.
Algumas agências de Publicidade aqui no Rio já têm departamentos de Marketing viral voltados pra redes sociais e para o Second Life. O que eu achei que era sonho no ano passado, hoje, já é mais do que uma realidade.

Ontem mesmo vi acontecer o que, para mim, ainda é uma revolução...

Exercício de imaginar

Passo I:
- Imaginem há cinco ou dez anos atrás uma produtora de eventos que pretende organizar um festival para um público fiel, em torno de 5 mil pessoas.
- Imaginem, que por infelicidade da produtora, ela tenha escolhido um péssimo lugar na opinião do público.
- Imaginem 5 mil pessoas, unidas em um único objetivo: fazer com que a produtora mude o local do evento.

Passo II:
- Agora imaginem 5 mil pessoas telefonando para a produtora.
- Imaginem 5 mil pessoas escrevendo cartas, indo ao correio e postando estas cartas para a produtora.

Imaginaram? Imaginaram o IMPOSSÍVEL. Há cinco ou dez anos atrás se a produtora recebesse 5 telefonemas e 5 cartas relatando o descontentamento com o local do evento SERIA MUITO E ESTARIA DE BOM TAMANHO.

Ontem no Orkut:
Membros de duas comunidades sobre o mesmo evento, com aproximadamente 3 mil pessoas, começaram um burburinho em torno do local escolhido. Postaram um tópico no fórum mais respeitado do interesse deles, enviaram um ou alguns emails para a produtora, divulgaram todas as razões pelas quais o evento não deveria ser naquele local.

Resultado:
A produtora se pronunciou quase que de imediato dentro do fórum, abrindo uma enquete em que o público poderia votar no local mais adequado para o evento. Isso, muito provavelmente, ao mesmo tempo em que desfaziam ou alteravam o contrato com o local pré-definido anteriormente.

QUANDO, na história da sociedade, o público teve tanto acesso às empresas e às decisões desse jeito? Sem a internet, isso era quase impossível. Mil pessoas jamais ligariam ou mandariam cartas reclamando.
A produtora teve a oportunidade de agir a tempo e garantir a sua imagem diante do público.
O público pôde decidir junto com a produtora qual seria o local mais adequado para o evento. E isso tudo começou aonde?

No Orkut.

Um comentário:

João Carlos disse...

Genial Patricia, é uma excelente abordagem, com certeza é um novo paradigma na relação com o consumidor. Podemos até mesmo chama-lo de just-in-time da relação como o consumidor.