18 junho 2007

Em 2011 um quarto dos brasileiros estará na Internet

Segundo estudo elaborado pelo eMarketer, intulado Brazil Online, 25% da população brasileira estará online em 2011.

Apesar do custo da conexão residencial ainda ser muito alto para para a maioria dos Brasileiros, o Brasil é lider na America Latina no numero de usuários de internet, deixando para trás a Argentina e o Mexico. Apesar de menos de 15% da população Brasileira usar a internet a partir de suas casas, trabalho, Lan houses e quisques de acesso público, em 2011 aproximadamente um quarto da população estará online.


O relatório Brazil Online examina não só o impacto da internet nesta vasta nação, como também as comunicações online e os negócios que serão desenvolvidos no futuro.

Assim como o mundo inteiro, o Brasil ja acostumou a estar online no seu dia a dia, com o uso da internet crescendo firmemente de algo em torno de 9% da população (17,5 milhões) em 2005 para uma projeção de de 22% da população (43,7 milhões) em 2011.


O relatório responde à perguntas como:
  • Quantos usuários de Internet existem no Brasil?
  • Quando e de onde os Brasileiros acessam a Internet?
  • O que os Brasileiros fazem online?
  • No que os hábitos de uso dos Brasileiros diferem dos outros outros usuários da América Latina?
  • Em que velocidade a Publicidade e o Marketing online crescem?
  • O que os Brasileiros compram online?
  • E muito mais....
A principío fiquei bastante satisfeito com os resultados preliminares da pesquisa, afinal 43,7 milhões de usuários de Internet em 2011 é um número espetacular, mas é um número absoluto que representa 22,1% da população. Enquanto isto, em 2011, na Argentina 31,3% da população estará conectada e no México 34,7%. Ou seja, estaremos ganhando mas perdendo ao mesmo tempo, irônico para não dizer trágico. Imagine se o projeto de Cibercrimes do Senador Eduardo Azeredo pegar, ai nem mesmo 22,1% da população, será um balde de agua fria no crescimento da população conectada no Brasil. Então aproveite a deixa e assine a petição contra o projeto e manifeste seu protesto.

Fonte: eMarketer

Nenhum comentário: