29 maio 2007

Conheça o ninho dos criativos

Curiosidade é uma das características mais proeminentes do ser humano. Quando se fala em criatividade imaginamos ambientes super diferentes, uns imaginam que criativos trabalham dentro de salas coloridas cercadas de almofadões, com todo tipo de estimulo intelectual, livros, revistas, tv, radio e com aquele visual no estilo Jardim de Infância. Será que é assim mesmo?


Para satisfazer esta curiosidade, Thorii Pablo criou o Criativos S.A. um blog focado única e exclusivamente no "ninho dos criativos". Thorii baseou-se no blog On my Desk da ilustradora Linzie Hunter.

Qualquer um pode enviar fotos e descrições de seus ninhos de criação. Dê uma boa arrumada, ou bagunçada no seu ninho de criação, tire várias fotos e mande para o Criativos S.A.

24 maio 2007

Mascaras anti-discriminatórias


"Se eu fosse assim, você me olharia de outra forma? "

Camisetas e mascaras foram distribuidas à meninos de rua, como campanha de divulgação da Afro Press. Infelizmente não sei nem qual foi a agência e nem onde foi esta ação.

Fonte: Scaryideas

19 maio 2007

Coma o quanto quiser


Genial esta peça que foi veiculada na Austria, acho muito interessante estas ações de mídia exterior.

Fonte: Scaryideas

17 maio 2007

o espião

Das últimas notícias relacionadas ao "mundo Orkut", essa do Orkurioso realmente me chocou. Já vi milhares de programas e softwares que atuam como parasitas do Orkut e que provêm facilidades para spammers e usuários com o acesso restrito em ambiente de trabalho, mas a função do Orkurioso vai muito além: ele foi especialmente desenvolvido para “atender à necessidade” que as pessoas têm de ler os scraps alheios. Como isso demanda tempo e nem todo cidadão brasileiro e trabalhador pode ficar o dia inteiro “fuçando” o Orkut, você se inscreve no programa, adiciona o link do sujeito a ser espiado (maiores vítimas: marido, namorado, filho, funcionário, inimigo, ex do namorado(a)) e ele lê e salva os scraps da pessoa a ser vigiada, assim como, os que ela respondeu, sem deixar rastros. A intenção é clara, porém, pode ser analisada de maneira muito mais profunda, mas precisaríamos de um psicólogo aqui... Os usuários defendem, assim como Maria Eduarda, que postou um comentário no blog Orkurioso (sim, eles têm um blog para discutir os bastidores do programa e receber sugestões):
"1. Maria Eduarda 1 de Maio de 2007, às 13h40
Oi, estava a praticamente um mês tentando me cadastrar no orkurioso, mas quando eu tentava, nunca estava disponível. Mas hoje, finalmente, consegui me cadastrar! Acho que vocês tiveram uma idéia ótima em fazer o orkurioso. Isso é uma forma das pessoas se ligarem que orkut é antônimo de privacidade, e pararem d apagar seus scraps! Quer privacidade, saia do orkut! Simples! Muito legal essa ferramenta de eternizar scraps… tomara que o site melhore cada dia mais. boa sorte pra vcs! bjaum…"


O site, programa, ou o que seja, já existe desde o início do ano e já atingiu uma média de 16 mil membros ativos. Apesar de ser declaradamente um espião, o Orkurioso, não pode ler os depoimentos alheios (a última esperança para os usuários normais) e não se considera uma espécie de hacker.

Possíveis conseqüências ou Prevendo o futuro:
Se a moda pegar mesmo por aqui é muito provável que uma onda, ainda maior, de "orkutícios" e perfis fakes abata o desempenho do Orkut como rede social. Uma gama de personagens (fakes) não se sustentará visto que as relações ficarão restritas ao âmbito virtual. Ninguém marcará um encontro na rua com o fake, ninguém mais conseguirá encontrar um velho amigo de escola se ele é um fake. A graça do Orkut, é exatamente, poder manter contato virtual com pessoas reais, transpondo a barreira tempo-espaço (filosofei agora, mas é isso mesmo), porém, pessoas reais precisam de um mínimo de privacidade para manter suas relações reais estáveis. Será o início do fim?

04 maio 2007

80% dos usuários de internet estarão no Second Life

Segundo a previsão do Gartner , 80 % dos usuários ativos de Internet e das 500 Empresas de Fortune possuirão um avatar ou outra forma de presença em ambientes virtuais como o Second Life até o final de 2011.

Gartner informou que os clientes destas empresas devem experimentar os ambientes virtuais, mas preferem fazer grandes investimentos somente quando o ambiente estiver estável e maduro.

A previsões foram apresentas durante o simpósio ITxpo 2007 - Emerging Trends, e foi acompanhado das cinco leis para guiar empresas através de incorporações virtuais.

Primeira lei: Mundos virtuais não são jogos e nem universos paralelos (ainda). Como converte-los em um canal de vendas? Esta é a primeira pergunta errada a se fazer.

Segunda lei: Por trás de cada avatar existe uma pessoa real. Usuarios corporativos devem levar em conta a reputação de suas empresas quando estiverm lidando com avatares.

Terceira Lei: Seja relevante e agregue valor. "Não subestime a possibilidade de prosperas atividades comerciais dentro da maioria dos mundos virtuais nos próximos três anos." Steve Prentice do Gartner.

Quarta Lei: Entenda e conviva com o "lado de baixo". Pergunte-se se atividades no mundo virtual podem ou não influenciar marcas no mundo real. Conteúdo adulto é uma grande parte da ecomonia virtual, porem comportamento adequado e ética devem ser levados em conta.

Quinta Lei: Esta é uma longa jornada. Ambientes virtuais foram desenvolvidos através de redes sociais, simulações e jogos online. A estabilidade e escalabilidade da maioria nos novos entrantes ainda não foi estabelecida.

Fonte: eMarketer